quarta-feira, 31 de maio de 2017

MUSEU DA PMPA PROMOVE PALESTRAS NA SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS

O Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, órgãos integrantes do Ministério da Cultura promovem em todo o país a I SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS, evento cultural e científico que visa discutir e apresentar os resultados de ações e intervenções na área dos arquivos por todo o Brasil.
Diversas instituições de memória, como arquivos, museus, centros de memória, entre outros acorreram ao chamado do edital e promovem os citados eventos no período de 05 a 10 de junho de 2017, conforme a programação de cada órgão, que pode ser consultada no site do evento (clique aqui).
A Polícia Militar do Pará, através do Museu da Polícia Militar, promove uma série de palestras alusivas à discussão acerca dos arquivos de nosso Estado e das formas de atuação para a preservação e pesquisa. 
Nas palestras haverá a presença do Prof. Dr. José Maia Bezerra Neto, professor da Faculdade de História (UFPA) e Vice-Diretor do Instituto Histórico e Geográfico do Pará e do Prof. M.Sc. Leonardo Torii, Diretor do Arquivo Público do Pará.
A palestras na Polícia Militar acontecem nos dias 05, 06 e 08/06/2017, no Auditório do Comando Geral da PMPA, situado no quartel do Comando Geral da PM (antigo Palácio dos Despachos), na Avenida Augusto Montenegro, km 9, nº 8401.
O evento fornecerá certificado aos participantes que obtiverem frequência mínima de 60% das atividades e as inscrições podem ser feitas por e-mail para a conta <museu@pm.pa.gov.br>, no qual o participante deve informar o interesse de participação, o nome completo e o órgão a que pertence.
Confira a programação acessando o folder do evento (clique aqui), e a publicação no site da PMPA (clicando aqui).
O evento conta com o apoio da Casa Militar da Governadoria do Estado, Associação Nacional de História / Regional Pará, Instituto Histórico e Geográfico do Pará, e do Arquivo Público do Pará.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Aconteceu na PM: aprovação do distintivo do CFS Auxiliar de Saúde.

A 18/05/1999, o BG 093 registrou a aprovação do distintivo do Curso de Formação de Sargentos Auxiliares de Saúde, nos termos transcritos abaixo:

"ATO DO COMANDANTE GERAL PORTARIA Nº 006 DE 10 DE MAIO DE 1999 - DEI 
O Comandante Geral da Polícia Militar do Pará, no uso de suas atribuições legais, e, 
Considerando o fundamental interesse de simbolizar o funcionamento do Curso de Formação de Sargentos Auxiliares de Saúde, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças “Cel Moreira” desta PMPA; 
Considerando ainda o propósito de ampliar qualitativamente a divulgação do ensino desenvolvido nesta Corporação. 
R E S O L V E: 
Art. 1º - Instituir nesta PMPA, o Distintivo do Curso de Formação de Sargentos Auxiliares de Saúde. Art. 2º - O distintivo ora criado, constituirá um conjunto significativo composto de um círculo (2,8 cm O) com fundo na cor branco e bordadura em azul, circundado por um resplendor amarelo-ouro de forma elíptica e com 11 (onze) lâmina convexas, destacando-se em seu interior um par de pistolas bucaneiras douradas (1,7 cm de ponto), sobposto a uma cruz vermelha (1,0 cm de ponta a ponta), representando a atividade policial militar auxiliar de saúde no âmbito desta Instituição. Nas partes superior e inferior interna da circunferência, encontram-se gravadas respectivamente as siglas: PMPA e CFAP. A primeira postada em faixa vermelha e a segunda colocada sobre o fundo branco do emblema, ambas, inscritas com letras áureo. Encerrado o complexo e situada igualmente sobre o fundo branco da insígnia, em posição de quase semicírculo, distingue-se também em letras amarelas, a inscrição: “ Curso de Formação de Sargentos”. 
Art. 3º - O distintivo do CFS (Auxiliar de Saúde) será usado nos uniformes 3º, 4º D, 9º D e 9º E, todos previstos no RUPM. O 9º D e 9º E deverá ser usado com distintivo em pano, bordado com o mesmo desenho e nas cores do original. 
Art. 4º - A Diretoria de Ensino e Instrução providenciará o registro para fins de alteração de Regulamento de Uniforme desta Policial Militar – RUPM/PA. 
Art. 5º - Esta Portaria entrará em vigor da data de sua publicação. 
Registre-se, Publique-se e Cumpra-se.

FAUSTINO ANTONIO GONÇALVES NETO - CEL QOPM RG 5263 
COMANDANTE GERAL DA PMPA"



Fonte: Boletim Geral nº 093, de 18/05/1999.  http://www.pm.pa.gov.br/sites/default/files/files/1999/BG_093_DE_18_MAI_1999.pdf

terça-feira, 16 de maio de 2017

HOJE NA HISTÓRIA DA PM ATRAVÉS DOS BOLETINS GERAIS

16/05/1994

ANIVERSÁRIO DE CRIAÇÃO DO CFAP - foi aprovada a Nota de Serviço nº 003/94 elaborada pelo Comando do CFAP, referente à passagem do 12º aniversário da OPM, a ser comemorado no dia seguinte 17/05/1994. Seria portanto, o CFAP de 1982, mas há quem garanta que a unidade ensino é mais antiga.

domingo, 14 de maio de 2017

Aconteceu na PMPA: 14 de maio de 1999

Foi publicada em BG a nomeação como Delegado de Cachoeira do Arari, o Sargento PM José Alves da Silva, através de ato do Secretário de Estado de Administração. Veja abaixo o teor da PORTARIA Nº 0577 DE 26 DE FEVEREIRO DE 1997:

A SECRETÁRIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO, no uso da competência delegada através do Decreto nº 3480, de 24.10.84, Considerando os termos do Proc. nº 1997/2213.
RESOLVE: Nomear, de acordo com o art. 6º, inciso II da Lei nº 5810 de 24.01.94, o 3º SGT QPMP RG 7753 JOSÉ ALVES DA SILVA, para exercer o cargo em comissão de Delegado de Polícia do Município de Cachoeira do Arari.
Registre-se, Publique-se e Cumpra-se.
Secretaria de Estado de Administração, 26 de fevereiro de 1997.

ROSA MARIA LIMA DE FREITAS
Secretaria de Estado de Administração.

Fonte: BG/ 091 – 14 MAIO 99, página 07.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Aconteceu hoje na PMPA: 04 de maio de 1999

Foi realizado na corporação o I Curso Especial de Força Tática, no período de 04 a 16 de maio de 1999, tendo como o mais antigo entre os alunos o MAJ QOPM RG 9918 EVANDRO CUNHA DOS SANTOS, Cmt da 1ª CIPM, antiga e extinta CIRP - Companhia Independente de Rádio Patrulha. À época, respondeu pelo comando da 1ª CIPM o também major JÂNIO LUIZ FERREIRA VIANA.
No ano seguinte, o curso teve continuidade com uma turma de Oficiais PM e Aspirantes a Oficiais PM, concluintes do CFO em 2000.

domingo, 16 de abril de 2017

Aconteceu Hoje: 16 de abril de 1833

Antônio Nicolau Monteiro Baena nasceu em Belém no dia 16 de abril de 1833, filho de Antônio Ladislau Monteiro Baena e de Maria Bruna de Siqueira Baena. Seu pai, militar, geógrafo e historiador português, escreveu dois importantes estudos relativos à formação e à natureza da região amazônica e, mais especificamente, do Pará: Ensaio corográfico sobre a província do Pará (1839) e Compêndio das eras da província do Pará. Assim como o pai, Antônio Baena fez carreira militar. No início da crise entre Brasil e Paraguai, em 1864, o governo imperial considerou a possibilidade de complementar a força militar do Exército brasileiro mobilizando a Guarda Nacional, na qual se alistavam todos os cidadãos de 18 a 60 anos de idade que tivessem renda mínima de duzentos mil-réis anuais. A idéia encontrou resistências, e a dificuldade de mobilização de guardas nacionais para enviar ao Sul só não teve consequências mais graves porque o governo imperial criou, por decreto do dia 7 de janeiro de 1865, os corpos dos Voluntários da Pátria, nos quais poderiam alistar-se, por livre vontade, cidadãos entre 18 e 50 anos dispostos a servir ao Exército. Para estimular o alistamento, oferecia-se aos voluntários, além do soldo normal dos soldados das forças regulares, de quinhentos réis diários, uma gratificação de trezentos mil-réis ao darem baixa no final da guerra, direito a terras nas colônias militares e agrícolas existentes em diferentes pontos do Brasil, promoções por bravura, meio soldo em caso de invalidez física e, em caso de morte, pensão nesse valor para herdeiro indicado à vontade. Enquanto a elite, representada pela Guarda Nacional, resistia a se apresentar para a guerra, o setor popular demonstrou entusiasmo patriótico para formar os corpos de Voluntários da Pátria, chegando a cerca de dez mil o número de voluntários alistados em todo o Brasil. No Pará, ainda em 1865, o presidente da província, José Vieira Couto Magalhães, criou o primeiro Corpo Paraense de Voluntários da Pátria, oriundo do Corpo de Polícia. Designou para comandá-lo o tenente-coronel comandante do Corpo de Polícia, Joaquim Cavalcanti d’Albuquerque Belo, e para a função de major-fiscal, Antônio Baena. Sem receber roupas adequadas ao frio intenso que caracterizava o inverno no rio da Prata, quase todos os quatrocentos praças que compunham o efetivo do batalhão oriundo do Pará morreram de frio. Além disso, o excesso de carne fresca na alimentação e a necessidade de beber água dos rios, nem sempre pura, agravaram as doenças entre a tropa. Em 1867, adido na província do Pará após ter retornado do teatro de operações no Paraguai, Antônio Baena foi nomeado pelo então presidente da província, o vice-almirante e conselheiro de guerra Joaquim Raimundo de Lamare, comandante interino do Corpo de Polícia, enquanto o tenente-coronel Joaquim Cavalcanti d’Albuquerque Belo estivesse participando das operações no Paraguai ou até que renunciasse ao cargo. Baena exerceu a função até o ano de 1881, quando foi reformado no posto de major por José da Gama Malcher, então vice-presidente da província. Em 1885 Antônio Baena exerceu, gratuitamente, as funções de administrador do Teatro da Paz, em Belém do Pará. Foi ainda vice-provedor da Santa Casa de Misericórdia, ajudante de ordens da presidência da província e agente auxiliar do Arquivo Público do Império. Com a proclamação da República em 15 de novembro de 1889 e a convocação do Congresso Nacional Constituinte, Antônio Baena foi eleito senador pelo Pará. Assumiu o mandato em 15 de novembro de 1890 e foi um dos signatários da Constituição de 24 de fevereiro de 1891. Reeleito, permaneceu no Senado até 1897, ano em que foi eleito vicegovernador do estado do Pará. Entretanto, não completou seu mandato, pois faleceu no dia 18 de junho de 1898. Adrianna Setemy FONTES: BAENA, A. Compêndio; DORATIOTO, F. Maldita; Projeto de imagem de publicações oficiais brasileiras do Center for Research Libraries e Latinamerican Microfilm Project. Mensagens dos Presidentes de Província (1830-1930). Disponível em: . Acesso em: 8/1/2009. 

Fonte: CPDOC. Disponível em <http://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/BAENA,%20Antonio.pdf>, acessado em 13/02/2017, 13h40.

MUSEU DA PMPA PROMOVE PALESTRAS NA SEMANA NACIONAL DE ARQUIVOS

O Arquivo Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa, órgãos integrantes do Ministério da Cultura promovem em todo o país a I SEMANA NACIO...