quinta-feira, 4 de agosto de 2016

AVISO



Além das fotografias e documentos, estamos recebendo quaisquer peças de uniformes no estado em que se encontrarem.
Diariamente atendemos no Estado-Maior Geral, sito a Rodovia Augusto Montenegro Km 09, nº 8401, Icoaraci - Belém - Pará, Cep 68.023-010.
Telefones: 91 98230-1055 - Tim;
91 988767741 e 98888-0775 - Oi;
91 98500-7335 - Claro;
91 99130-2642 - Vivo;
91 3115-5950 - fixo.

quinta-feira, 14 de julho de 2016

AVISO



Além das fotografias e documentos, estamos recebendo quaisquer peças de uniformes no estado em que se encontrarem.
Diariamente atendemos no Estado-Maior Geral, sito a Rodovia Augusto Montenegro Km 09, nº 8401, Icoaraci - Belém - Pará, Cep 68.023-010.
Telefones: 91 98230-1055 - Tim;
91 988767741 e 98888-0775 - Oi;
91 98500-7335 - Claro;
91 99130-2642 - Vivo;
91 3115-5950 - fixo.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Aconteceu Hoje na Polícia Militar do Pará

Assumiu, interinamente, o comando da corporação, no dia 13 de julho de 1850, o Major Joaquim Victorino de Souza Cabral, por ter sido dispensado o Major Christiano Pereira de Azevedo Coutinho.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Origens remotas do Batalhão de Choque da Polícia Militar

A História da Polícia Militar do Pará, com quase 200 anos de existência, é repleta de fatos que ainda estão a serem revelados à sociedade e à própria corporação.
Um desses fatos é a criação de um remoto Pelotão de Choque, nos anos de 1944, pelo Chefe de Polícia, Moura Carvalho. Abaixo, temos a imagem do Chefe de Polícia, com o pelotão de choque.

Imagem 01: Moura Carvalho com o Pelotão de Choque da PM - 1944

Esse Pelotão é a referência  mais antiga do que é hoje o Batalhão de Choque da PMPA, que funciona na Avenida Fernando Guilhon, entre as Travessas 14 de Março e Alcindo Cacela.

Vê-se na imagem que o uniforme era constituído de boné (quepe), túnica branca, com talabarte e cinto (cujo armamento ficava disposto à esquerda), calça e sapatos. Não foi possível identificar as cores da indumentária. Apenas um dos militares está na fotografia utilizando bota (possivelmente membro do Esquadrão de Cavalaria), bem como esse militar é o único que não utiliza talabarte, cinto e coldre, mas é o único que está de gravata.

Desse período até os anos de 1990 quando é criado o Batalhão de Choque da PM não foram encontradas fontes seguras que contem a história dessa unidade Policial Militar.



Moura Carvalho, Chefe de Polícia, em visita à Polícia Militar. A seu lado o Cmt dessa Unidade, Cel Ney peixoto e oficiais da Corporação, em 1944.  Fonte: Magalhães Barata, o Homem, a Lenda o Político - Vol. I.

Referências:
Imagem 01: CRU
Imagem 02:

20ª Reunião de Historiadores da PMPA

Reunião da Equipe
Foi realizada na tarde de ontem, 21/06/2016, na sala de reuniões do Chefe do Estado-Maior Geral da PMPA, a 20ª Reunião do Grupo de Trabalho em História da PM.
Cel PM Saraiva e Profª Wania Viana
A equipe composta pelo CEL PM SARAIVA, Chefe do EMG; TEN CEL PM GABRIEL, Diretor do Museu da PM; TEN CEL PM RR RUFFEIL, MAJ PM CHARLET, CAP PM GAUDÊNCIO, 1º TEN PM ALBERTO e 1º TEN PM ISMAEL vem se reunindo desde o mês de setembro de 2015, em cujas reuniões são definidas ações de proteção do patrimônio histórico da PM. Entre as ações, destaca-se a instalação  de uma "Sala da Memória" no Comando Geral da PM, na Rod. Augusto Montenegro.

Cel PM Saraiva e Ten Zeferino visita à Sala da Memória
A reunião contou com a presença de dois professores universitários: a Profª M.Sc WANIA ALEXANDRINA VIANA, da Unama; e o Prof. Esp. MÁRCIO RAMON CAMPELO RAMOS, ambos estudiosos de História Militar regional.
Na oportunidade, foram discutidas ações e iniciativas que devam ser tomadas acerca da preservação do patrimônio histórico documental da PM que, uma parte considerável, passou pelo processo de digitalização perfazendo um total de 139 documentos (códices e livros).
Ten Zeferino relatando sua história na PM
Concluída a primeira fase da reunião, iniciou-se a entrevista do 2º TEN RF ZEFERINO, Policial Militar que incluiu nas fileiras da corporação em 1963 e passou pelo menos 20 anos atuando no Exército Brasileiro a serviço da PM, mantendo o cadastro de Policiais Militares mobilizados em ordem para, se necessário, subsidiar a atuação da força terrestre.

O Tenente Zeferino lembrou do cotidiano do trabalho policial, entre os quais a ausência de férias, o fato de haver tirado 48 serviços de guarda no Presídio São José, de ter incluído numa tropa Policial Militar e ter sido designado a servir na Cavalaria da PM, cujo prédio em 1963 era na Avenida Alcindo Cacela com a Rua Conceição, na Cremação.

Créditos:
Fotografia Voluntária Civil Rayara.

Informações:
Todas às terças-feiras, a partir das 15h00 ocorre a reunião. Os interessados em participar deverão procurar o Coronel PM Saraiva, Chefe do Estado-Maior Geral ou qualquer um dos demais participantes.

Doação de peças para o Museu da PM:
De segunda a sexta-feira, das 09 às 16h, na Secretaria do EMG.



quinta-feira, 9 de junho de 2016

Diferença Básica entre um Soldado PM e um Soldado EB

Jornalista:

- General, qual a diferença básica entre um Soldado do Exército e um PM?

General: 
- Não tem diferença. Tem diferença de regime e de destinação. O policial militar tem um emprego para a vida toda, ele vai trabalhar uma vida como policial militar. O soldado (do Exército) quando empregado em operações de garantia da Lei e da Ordem, ele tem um tempo pra ficar. Então, ele pode ser mais exigido. Até porque o nosso regulamento permite isso. Nós rodamos... Como nós somos preparados pra fazer a guerra, e na guerra são 24 horas. Quando nós vamos pra uma operação dessa, se necessário, nós vamos virar o tempo todo. Nós vamos rodar 24 horas o soldado. Então essa é a diferença básica. Você não pode exigir dum policial militar, que não é aquartelado, o nosso soldado é aquartelado. Você não pode exigir dele a mesma coisa que se exige de um militar das forças armadas ...



RELEMBRANDO: I CURSO DE POLICIAMENTO EM GRANDES EVENTOS

A Polícia Militar do Pará realizou na manhã do dia 09/06/2014, segunda-feira, no auditório do Comando Geral da corporação, a aula inaugural da primeira edição do Curso de Policiamento em Grandes Eventos.

Àquela época, a OPM nascia simultaneamente com a realização do seu primeiro curso, necessitando qualificar policiais militares para a atuação em diversos eventos de médio e grande porte, bem como em mega eventos cada vez mais frequentes na capital, região metropolitana e mesmo nas diversas regiões paraenses.

O curso teve a preocupação de preparar os discentes para o atendimento de vários tipos de eventos: fossem eles de caráter desportivo, cultural, religioso ou mesmo os de cunho solidário ou de outras motivações.


Fotografia: Esther Beltrame / Ascom


O primeiro curso contou com 240 alunos, todos oriundos das tropas dos comandos de policiamento da capital e da região metropolitana.

A carga-horária desse curso teve 242 horas-aulas de atividades, com disciplinas e atividades ministradas por pessoas que organizam eventos de grandes proporções em Belém.

Entre os palestrantes, estiveram os organizadores do Círio de Nazaré, do Campeonato Paraense de Futebol e de festas que envolvam um número expressivo de participantes, como é o caso da Festa da Chiquita e do Festival de Iemanjá.

Na solenidade de abertura do curso, estiveram presentes o coronel Arthur Moraes, Diretor de Ensino da PMPA; os tenentes coronéis Sadala e Cavalcante, além dos Majores Luiz Octávio e Charlet, todos envolvidos na organização da capacitação.

No desenho curricular do curso estavam contidas as disciplinas: Aspectos Constitucionais dos Grandes Eventos, Direitos Humanos, Principais Tipos Penais envolvidos nos Grandes Eventos, Estatuto do Torcedor e Atuação Policial, Sistema de Comando de Incidentes, Aspectos Psicológicos das Emergências, Atendimento Pré-Hospitalar, Controle de Distúrbios Civis - CDC Aplicado em Grandes Eventos, Imobilização Tática e Emprego de Tonfa, além de Técnica de Abordagem.

Situação Atual:

Fruto dessa qualificação e da melhoria continuada do Batalhão de Eventos - BPE neste ano de 2016 foi a elaboração do "Guia de Recomendações para Atuação das Forças de Segurança Pública em Praças Desportivas", conjunto de normas que vem sendo utilizado no Batalhão desde o mês de junho/2016, quando da realização de partidas de futebol do campeonato paraense realizadas no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão).
Entre as inovações do Guia está a otimização na distribuição do efetivo e a utilização de detectores de metais durante as revistas aos torcedores, o que permite aumentar os níveis de segurança proporcionados aos torcedores que acorrem às partidas de futebol.
Fonte: Assessoria de Comunicação da PMPA, junho/2016